Ascite em oncologia: causas, sintomas e métodos de tratamento

Artigo sobre ocorrência de ascite em pacientes oncológicos, causas, sintomas e métodos de tratamento. Explicação detalhada do mecanismo de formação de fluidos na cavidade abdominal, risco de complicações e recomendações de especialistas.

Ascite é um acúmulo de líquido na cavidade abdominal devido a várias causas, incluindo câncer. É uma condição grave associada à presença de tumor no corpo e requer tratamento cirúrgico.

O aparecimento de ascite em oncologia está frequentemente associado à ação das células cancerígenas, que secretam substâncias que contribuem para a retenção de líquidos na cavidade abdominal. Como resultado, o paciente pode apresentar inchaço, dor, disfunção estomacal e intestinal, dispneia. Os sintomas podem surgir em qualquer momento do curso da doença, o que torna necessário procurar o médico a tempo para diagnóstico e prescrição do tratamento.

O tratamento da ascite em oncologia envolve não apenas a remoção de líquido da cavidade abdominal, mas também o tratamento obrigatório da doença de base. Dependendo da gravidade da condição do paciente, o médico pode prescrever terapia conservadora ou intervenção cirúrgica. Independentemente do método de tratamento escolhido, para obter o máximo de resultados é necessário seguir rigorosamente as recomendações do médico e realizar exames regulares.

Contents
  1. Ascite em oncologia
  2. Causas de ascite em oncologia
  3. Sintomas de ascites em oncologia
  4. Diagnosticando ascites do câncer
  5. Tratamento de ascites em oncologia
  6. Tratamento da causa de ascites
  7. Tratamento de sintomas ascites
  8. Opções de tratamento cirúrgico para ascites
  9. Pacote frio no abdômen em caso de ascites em oncologia
  10. Papel do pacote frio no tratamento de ascites
  11. Como usar um pacote frio?
  12. Quais são os benefícios do pacote frio para o tratamento de ascites?
  13. Remoção direta de ascites
  14. Tratamento cirúrgico de ascites em oncologia
  15. Tratamento medicamentoso de ascites em oncologia
  16. Dieta para ascites em oncologia
  17. Princípios gerais de nutrição
  18. Restrições e proibições
  19. Alimentos recomendados
  20. Prós da dieta
  21. Alimentos úteis para ascites em oncologia
  22. Alimentos nocivos para ascites com oncologia
  23. Radioquimioterapia para ascites em oncologia
  24. Prevendo ascites de câncer
  25. Faça exames regulares
  26. Mantenha um estilo de vida saudável
  27. Monitore sua saúde durante o tratamento do câncer
  28. Cuide do seu bem-estar emocional e mental
  29. Quando devo consultar um médico para ascite oncológica?
  30. Prognóstico na ascite oncológica
  31. Perguntas e respostas:
  32. O que é ascite e como ela está relacionada à oncologia?
  33. Quais sintomas podem indicar a presença de ascite?
  34. Como a ascite é diagnosticada em oncologia?
  35. Quais tumores levam mais frequentemente ao desenvolvimento de ascite?
  36. Quais tratamentos para ascite estão disponíveis para oncologia?
  37. Como afetar as causas da ascite no câncer?
  38. O desenvolvimento de ascite no câncer pode ser evitado?
  39. Que complicações podem surgir da ascite com câncer?
  40. Complicações da ascite com câncer

Ascite em oncologia

Ascite é um acúmulo de líquido na cavidade abdominal. É um dos sintomas mais comuns da doença oncológica, podendo levar a uma deterioração significativa na qualidade de vida do paciente.

A ascite cancerosa geralmente é causada por metástases de tumores malignos no abdômen que secretam líquido. Além disso, a ascite pode ser causada por obstrução dos vasos linfáticos ou hipertensão portal.

Os sintomas de ascite com câncer incluem aumento do volume abdominal, micção frequente, dificuldade para respirar, perda de apetite, náuseas e vômitos. Se não for tratada, a ascite pode levar a complicações como infecção, ruptura abdominal ou insuficiência respiratória.

O tratamento da ascite no câncer depende da causa. Pode incluir quimioterapia ou medicamentos para ajudar a drenar o fluido do corpo. Procedimentos para drenar líquido do abdômen ou cirurgia para remover o tumor maligno que causa ascite também podem ser usados

Causas de ascite em oncologia

Ascites em oncologia ocorre como resultado de vários fatores associados à doença. Uma das principais causas é a interrupção do sistema linfático, responsável por gerenciar o equilíbrio de fluido no corpo. No caso do processo de câncer, os vasos linfáticos podem ser afetados, o que leva ao funcionamento prejudicado do sistema.

Além disso, as ascites podem ser causadas pela propagação de um tumor para a cavidade abdominal, que começa a se encher de líquido em grandes quantidades. Além disso, o inchaço abdominal pode ser causado por abuso de álcool, mau funcionamento do fígado, presença de infecção ou inflamação na área abdominal e tomando certos medicamentos.

  • Doenças: tumores, cirrose, pancreatite, tuberculose, doenças infecciosas e outras doenças abdominais podem causar ascites
  • Medicamentos: Alguns medicamentos podem causar ascites em oncologia (por exemplo, medicamentos anti-inflamatórios não esteróides).
  • Intervenções cirúrgicas: ascites podem ser uma conseqüência de procedimentos cirúrgicos abdominais

É importante saber que as causas de ascites em oncologia podem ser diferentes; portanto, quando os sintomas aparecem, é necessário consultar um médico para estabelecer um diagnóstico e prescrever tratamento adequado.

Preocupado com taquicardia?

Sintomas de ascites em oncologia

Ascites é um acúmulo de fluido na cavidade abdominal, que pode ser um dos sintomas do câncer. Os sintomas de ascites no câncer podem incluir:

  1. Inchaço abdominal: O primeiro e mais óbvio sintoma é um aumento no tamanho do abdômen. Quando uma quantidade significativa de fluido se acumula na cavidade abdominal, o abdômen pode atingir um tamanho enorme.
  2. Heaviness Abdominal: Os pacientes podem ganhar uma quantidade significativa de peso e sofrer desconforto com uma sensação de peso no abdômen e na digestão prejudicada.
  3. Dor e desconforto: algumas pessoas experimentam dor e desconforto do excesso de fluido, mas isso está longe de sempre presente.
  4. Falta de ar e dificuldade em respirar: se houver uma quantidade significativa de líquido no abdômen, poderá ser colocada pressão nos pulmões através do diafragma, resultando em uma sensação de dificuldade em respirar.

Os sintomas de ascites oncológicos podem variar muito, dependendo do tipo e do estágio de câncer, bem como da quantidade de fluido, mas se você estiver experimentando esses sintomas, deve consultar um médico imediatamente que possa prescrever tratamento

Diagnosticando ascites do câncer

O diagnóstico de ascites em pacientes com câncer é um processo complexo e multicomponente. Na visita inicial aos médicos, os pacientes geralmente se queixam de sentimentos de peso, tensão na cavidade abdominal e um aumento em seu tamanho. Exames adicionais envolvem o uso de vários métodos de diagnóstico médico para identificar o tipo de ascite e suas causas.

Um dos primeiros métodos de diagnóstico de ascites em oncologia é o ultrassom, que permite ver a quantidade absoluta de fluido na cavidade abdominal e determinar suas características. Os raios X também podem ser ordenados que os pacientes examinem o acúmulo excessivo de líquidos no abdômen e identifiquem sintomas adicionais.

Outro método de diagnóstico usado quando o câncer é suspeito é um teste bioquímico. Este teste ajuda os médicos a detectar a quantidade de proteína e glicose no fluido das ascites, o que lhes permite determinar suas causas.

Para fazer um diagnóstico preciso e determinar a causa de ascites em oncologia, o médico também pode prescrever uma tomografia computadorizada, ressonância magnética, testes para marcadores tumorais.

Tratamento de ascites em oncologia

Tratamento da causa de ascites

Tratamento da causa da ascite

O tratamento inicial para ascites no câncer visa tratar a causa da doença. Isso geralmente envolve quimioterapia, radioterapia ou imunoterapia. No entanto, se a causa da doença não puder ser eliminada, o tratamento visa melhorar a qualidade de vida do paciente e reduzir os sintomas.

Tratamento de sintomas ascites

Vários métodos podem ser usados para tratar os sintomas de ascites. Um dos principais métodos é a punção abdominal repetida, um procedimento para remover o fluido através de uma agulha inserida no abdômen. Diuréticos, diuréticos, medicamentos de ligação a fluidos e medicamentos para melhorar o fluxo sanguíneo e a função hepática também podem ser usados.

Opções de tratamento cirúrgico para ascites

Nos casos em que o tratamento conservador falha em eliminar ascites ou quando ascites é o resultado de metástases, tratamentos cirúrgicos podem ser usados. Um desses métodos é a implantação de stents de titânio dentro do fígado. Isso reduz a compressão da veia do fígado, que pode ser causada pelo excesso de fluido.

Pacote frio no abdômen em caso de ascites em oncologia

Papel do pacote frio no tratamento de ascites

O papel da bolsa fria no tratamento da ascite

Ascites é um acúmulo de líquido no abdômen, que pode ser um dos sintomas do câncer. Um tratamento para ascites no câncer é usar uma compressa fria no abdômen. Isso ajuda a reduzir a inflamação, diminuir o inchaço e aliviar a dor.

Como usar um pacote frio?

Você pode comprar um pacote frio de uma farmácia ou prepar á-la facilmente em casa. Deve ser aplicado ao abdômen em intervalos de 20 minutos para evitar o congelamento da pele. Em combinação com outros tratamentos – dieta, exercícios, medicamentos – o pacote frio ajuda a eliminar ascites.

Quais são os benefícios do pacote frio para o tratamento de ascites?

O frio tem um efeito vasoconstritivo e analgésico, o que ajuda a reduzir o inchaço e a dor. O uso de uma compressa fria para tratar ascites para o câncer também pode estender o tempo até o tratamento com técnicas específicas, como a paracentese, se necessário.

Remoção direta de ascites

Ascites podem ser removidas diretamente através de um procedimento de laparocentese. Nesse caso, uma agulha é inserida através de uma pequena incisão no abdômen e o fluido é bombeado. Este procedimento é a maneira mais fácil e eficaz de remover ascites.

Há também um método de remoção laparoscópica de ascites. Esta é uma intervenção mais complexa, onde um dispositivo óptico é inserido através de várias pequenas incisões na parede abdominal na cavidade abdominal. Através de outras aberturas na parede, os instrumentos e o equipamento térmico são inseridos para remover o fluido.

O procedimento de remoção direta de ascites pode causar algumas complicações, como infecções, hemorragia e danos ao intestino. Portanto, esse método é usado apenas nos casos em que ascites dificultam a respiração, causa dor e não é passível de tratamento conservador.

  • A laparocentese é o método mais simples e eficaz.
  • A remoção laparoscópica de ascites é uma intervenção mais complexa.
  • Pode causar complicações, por isso é usado apenas em casos de emergência.

Tratamento cirúrgico de ascites em oncologia

O tratamento cirúrgico de ascites em oncologia é um dos métodos efetivos para combater esta doença. Pode ser prescrito se a terapia conservadora não fornecer resultados suficientes. Durante a cirurgia, a causa dos ascites é eliminada, a saber, o tumor, que impede a saída normal do fluido.

Um dos métodos de tratamento cirúrgico de ascites em oncologia é a punção e a inserção de um dreno na cavidade abdominal para drenar o fluido. No entanto, esse método não é radical e não resolve a causa da doença. A cirurgia para remover ou ressecar o tumor é considerada um método mais eficaz e radical.

O tratamento cirúrgico de ascites em oncologia pode ser realizado por métodos abertos e laparoscópicos. A cirurgia laparoscópica é menos traumática e, devido ao menor tamanho da ferida, permite uma recuperação mais rápida. No entanto, alguns pacientes podem ter um melhor resultado com cirurgia aberta.

Após o tratamento cirúrgico de ascites, são necessários um período de reabilitação e uma longa indicação de terapia antitumoral. O sucesso da cirurgia depende diretamente do grau de desenvolvimento do tumor e da condição geral do corpo do paciente.

Tratamento medicamentoso de ascites em oncologia

O tratamento medicamentoso de ascites em oncologia envolve o uso de vários grupos de drogas. Uma das principais tarefas no tratamento de ascites é reduzir o volume de fluido na cavidade abdominal, bem como impedir sua formação.

Para atingir esse objetivo, os diuréticos são usados para ajudar a eliminar o excesso de líquido do corpo. Além disso, no tratamento de ascites em oncologia, pode ser prescrito medicamentos que ajudam a melhorar a função dos rins, coração e fígado.

Em alguns casos, pode ser necessário realizar nutrição parenteral, que permite compensar a falta de nutrientes no corpo. Drogas que melhoram a circulação sanguínea e evitam a trombose também podem ser usadas.

Ao tratar ascites em oncologia, é necessário levar em consideração todas as características da doença e a condição do paciente. O tratamento deve ser realizado sob a supervisão de um médico e com o monitoramento rigoroso da condição do paciente.

Dieta para ascites em oncologia

Princípios gerais de nutrição

Com ascites em oncologia, é importante seguir uma dieta racional e saudável. A nutrição deve ser facilmente digerível, rica em proteínas, vitaminas e minerais. Não é recomendável comer alimentos muito gordurosos, salgados ou picantes, bem como alimentos que causam flatulência. Produtos lácteos desnatados, frutas frescas e vegetais são opções ideais para um paciente com ascite no câncer.

Restrições e proibições

No caso de ascites com oncologia, você deve evitar alimentos contendo sal, álcool, conservantes, gorduras trans, chocolate, café e pão branco. Também não é recomendável consumir kefir, kvass, bebidas energéticas e refrigerantes.

Alimentos recomendados

Para ascites com oncologia, é recomendável consumir muitos fluidos, como água, chá verde, sucos de frutas sem adição de açúcar. Você também pode consumir ovos, carne branca, peixe, mingau líquido, produtos lácteos fermentados, sopas de vegetais, frutas e bagas.

Menu de amostra para um paciente com ascites em oncologia

Café da manhã Ovo, aveia na água com bagas
Lanche Maçã, chá verde
Almoço Sopa de vegetais frescos, filé de frango cozido no vapor, salada de vegetais
Lanche da tarde Produto de leite azedo sem adição de açúcar, salada de frutas
Jantar Filé de peixe cozido no vapor, couv e-flor, chá verde

Prós da dieta

Uma dieta adequada e racional para ascites em oncologia ajuda a reduzir a carga no fígado, pois é o fígado que causa os problemas mais digestivos nos pacientes. A boa nutrição também pode ajudar a organizar um equilíbrio adequado de fluido no corpo e reduzir o nível de inflamação no abdômen.

  • Uma dieta facilmente digerível é rica em proteínas e vitaminas.
  • Reduzindo o ônus do fígado.
  • Ajude a reduzir o nível de inflamação na cavidade abdominal.

Alimentos úteis para ascites em oncologia

A nutrição desempenha um papel importante no tratamento de ascites com câncer. Felizmente, aqui estão alguns alimentos que podem ajudar a regular os níveis de fluidos corporais e prevenir infecções.

Primeiro na lista de alimentos saudáveis, são vegetais. Vegetais como brócolis, espinafre, batata e abobrinha contêm vitamina K, o que ajuda a reduzir o acúmulo de fluidos no corpo e melhorar a função hepática.

Você também deve incluir frutas, barbas e bagas, como mirtilos e framboesas em sua dieta, que contêm antioxidantes essenciais para combater a inflamação e aumentar o sistema imunológico.

A proteína também pode ajudar a tratar ascites. Proteínas magras, como frango, peru e frutos do mar, contêm arginina, betaína e L-carnitina, que ajudam a reduzir o acúmulo de fluidos e aumentar a produção de urina.

Outros alimentos saudáveis incluem alimentos prbióticos, como iogurte, queijo e vegetais fermentados. Esses alimentos contêm bactérias vivas que ajudam a melhorar a função intestinal e reduzem a inflamação no corpo.

É importante perceber que uma dieta saudável é apenas uma parte do tratamento para ascites com câncer e deve ser combinada com cuidados médicos profissionais.

Alimentos nocivos para ascites com oncologia

Quando uma pessoa tem ascite com oncologia, é muito importante assistir à dieta. Alguns produtos podem piorar a condição do paciente e causar consequências negativas. Portanto, vale a pena evitar:

  • Alimentos salgados. O sal pode causar retenção de líquidos no corpo, o que levará a um aumento de ascites. Também vale a pena prestar atenção à quantidade de sódio em alimentos e água potável.
  • Comidas fritas . Alimentos fritos podem causar sobrecarga do estômago e facilitar a formação de fluidos. Além disso, o cancerígeno furfural pode ser formado durante o processamento de alimentos, o que aumenta o risco de câncer.
  • Doces. Os doces podem levar a uma interrupção sustentada do equilíbrio de eletrólitos de água, o que é indesejável em ascites.
  • Especiarias. Pratos picantes e picantes podem causar irritação das membranas mucosas do estômago e intestino e, assim, provocar uma resposta do corpo na forma de um aumento no processo de acúmulo de fluidos.

Além desses produtos nocivos, você não deve beber álcool e fumaça. O sistema imunológico do paciente já está enfraquecido pela oncologia, e mesmo o envenenamento por nicotina menor pode agravar a situação.

Radioquimioterapia para ascites em oncologia

A radioquimioterapia é o uso combinado de quimioterapia e radioterapia para tratar o câncer. Este método de tratamento pode ser usado para tratar ascites no câncer.

A radioterapia usa raios de alta energia para destruir células malignas no corpo. A quimioterapia usa medicamentos para destruir células malignas que foram deixadas para trás após a radioterapia.

A radioquimioterapia pode ser um tratamento eficaz para ascites com câncer, pois trata o tumor in situ e destrói células malignas no corpo como um todo. No entanto, pode causar efeitos colaterais como náusea, vômito, fadiga e perda de cabelo.

Quando a radioquimioterapia é usada para tratar ascites do câncer, os medicamentos podem ser injetados diretamente no abdômen para reduzir o acúmulo de fluido. A radioterapia pode ajudar a reduzir o tamanho do tumor e interromper o acúmulo de fluido. Geralmente, este tratamento é administrado em combinação com outros tratamentos para melhorar a chance de uma recuperação completa do câncer

Prevendo ascites de câncer

A ascite é uma das complicações do câncer e é importante saber como prevenir o seu desenvolvimento. Seguindo uma série de dicas, você pode reduzir significativamente o risco de ascite.

Faça exames regulares

Os exames anuais podem ajudar a detectar o câncer em um estágio inicial, aumentando muito as chances de um tratamento bem-sucedido e prevenindo o desenvolvimento de complicações, incluindo ascite.

Mantenha um estilo de vida saudável

Seguir uma dieta saudável, praticar atividade física moderada e evitar fumar e beber álcool pode ajudar a estimular o sistema imunológico e o tônus ​​geral do corpo, o que pode prevenir o desenvolvimento de câncer e complicações, incluindo ascite.

Monitore sua saúde durante o tratamento do câncer

Durante a terapia do câncer, é importante monitorar sua saúde, visitar seu médico regularmente e seguir as ordens do seu médico para detectar e prevenir complicações potenciais, incluindo ascite, em tempo hábil.

Cuide do seu bem-estar emocional e mental

Cuide do seu bem-estar emocional e mental

O estresse e a depressão podem diminuir significativamente o sistema imunológico e contribuir para o desenvolvimento de câncer e complicações, incluindo ascite. Por isso, é importante cuidar do seu bem-estar emocional e mental e procurar ajuda de um psicólogo ou médico caso ocorram sintomas.

Com essas dicas em mente, você pode tomar todas as medidas para reduzir o risco de câncer de ascite. No entanto, se sentir quaisquer sintomas suspeitos, é importante contactar imediatamente o seu médico para aconselhamento e tratamento profissional.

Quando devo consultar um médico para ascite oncológica?

Se sentir dores na região abdominal, abdômen dilatado, principalmente de forma rápida, acompanhada de sensação de peso e pressão, vale a pena consultar um médico. Além disso, se a ingestão de líquidos no contexto do tratamento de uma doença oncológica revelou a presença de ascite, deve-se consultar imediatamente um especialista. Outros sinais perigosos de ascite são a presença de dores nas pernas, estado de depressão e impotência sexual.

É necessário recorrer a um médico antes de mais nada para esclarecer o diagnóstico e a possibilidade de tratamento. O médico fará os exames necessários, fará a anamnese da vida e da doença, prescreverá estudos complementares e fará o diagnóstico. Caso seja detectada ascite cancerosa, é necessário iniciar o tratamento o mais rápido possível, o que melhorará a qualidade de vida e aumentará a expectativa de vida do paciente.

  • Você deve consultar um médico aos primeiros sintomas de ascite (inchaço abdominal, peso abdominal, dor)
  • Também é importante consultar um especialista se o abdômen aumentar de tamanho e houver sintomas adicionais como depressão, dores nas pernas, impotência sexual
  • O residente solicitará exames adicionais e realizará diagnósticos para esclarecer o diagnóstico e determinar se o tratamento é possível
  • Iniciar o tratamento para ascite oncológica maximizará a qualidade de vida e a expectativa de vida do paciente

Prognóstico na ascite oncológica

O prognóstico da ascite oncológica depende de vários fatores, como tipo de câncer, estágio da doença, presença de metástases e eficácia do tratamento. Na maioria dos casos, se a ascite ocorrer como resultado de um câncer, isso indica um estágio avançado do câncer e o prognóstico geralmente é decepcionante.

Entretanto, pacientes que conseguiram controlar a doença de base por um longo período de tempo podem melhorar na presença de ascite. Em termos de sobrevida, o prognóstico desses pacientes pode ser mais otimista.

Em resumo, o tratamento bem-sucedido da doença subjacente e o manejo oportuno da ascite são fatores-chave que podem melhorar o prognóstico da ascite oncológica. A consulta com um oncologista, o diagnóstico adequado e a prescrição do tratamento adequado podem melhorar significativamente as chances de sobrevivência em pacientes com ascite oncológica.

Perguntas e respostas:

O que é ascite e como ela está relacionada à oncologia?

Ascite é um acúmulo de líquido na cavidade abdominal. Muitas vezes é uma manifestação de câncer, pois o tumor pode interferir na troca normal de fluidos no corpo.

Quais sintomas podem indicar a presença de ascite?

O sintoma mais óbvio da ascite é um aumento no tamanho do abdômen e uma sensação de tensão. Além disso, também podem ocorrer náuseas, vômitos, dor abdominal e inchaço das extremidades.

Como a ascite é diagnosticada em oncologia?

Estudos ultrassonográficos e radiológicos, bem como tomografias computadorizadas, são frequentemente usados para diagnosticar ascite. Em alguns casos, pode ser necessária uma biópsia de líquido da cavidade abdominal.

Quais tumores levam mais frequentemente ao desenvolvimento de ascite?

A ascite pode ocorrer com muitos tipos de câncer, incluindo câncer de ovário, câncer de estômago, câncer de pâncreas e câncer de mama.

Quais tratamentos para ascite estão disponíveis para oncologia?

O tratamento da ascite pode incluir drenagem de líquido do abdômen, uso de diuréticos e quimioterapia. Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária.

Como afetar as causas da ascite no câncer?

Uma forma de combater a ascite é tratar o próprio tumor, que levou ao seu desenvolvimento. Além disso, é importante monitorar o equilíbrio dos fluidos no corpo e consultar o seu médico sobre possíveis complicações.

O desenvolvimento de ascite no câncer pode ser evitado?

Em alguns casos, é possível reduzir a probabilidade de desenvolver ascite através de exames regulares e tratamento do câncer. Também é importante monitorar a saúde do fígado e evitar o consumo excessivo de álcool.

Que complicações podem surgir da ascite com câncer?

A ascite pode causar danos a outros órgãos, como pulmões, coração e rins, além de provocar complicações infecciosas. Em alguns casos, pode ser necessária atenção médica imediata.

Complicações da ascite com câncer

A ascite que ocorre com o câncer pode ser acompanhada por várias complicações que podem levar a consequências graves:

  • Infecções. Uma infecção pode se desenvolver no local do acúmulo de líquido, o que leva a uma deterioração acentuada da condição do paciente e requer intervenção imediata.
  • Desenvolvimento de derrame pleural. Na presença de ascite é possível desenvolver derrame pleural, quando o líquido começa a se acumular na cavidade pleural e causa dificuldade para respirar e dor.
  • Parada respiratória. Quando há grande acúmulo de líquido na cavidade abdominal, pode ocorrer compressão do diafragma, resultando em comprometimento da função respiratória.
  • Problemas com o sistema cardiovascular. Devido à ascite, o coração e os vasos sanguíneos podem ser perturbados, causando inchaço, inchaço doloroso e hemorragias.
  • Trombose venosa. Na presença de ascite, é possível o desenvolvimento de trombose venosa, que é uma complicação perigosa e requer intervenção imediata.

O tratamento da ascite em oncologia deve ser realizado de forma complexa e incluir não apenas o alívio dos sintomas, mas também o combate à causa da doença. Somente neste caso você poderá evitar complicações e obter o maior sucesso possível no combate à oncologia.