Por que o bebê não dobra fezes e peida constantemente: motivos e recomendações

Por que uma criança muitas vezes pode peidar, mas não fazer cocô e quais podem ser as razões para isso. Como ajudar seu bebê a se livrar do desconforto e a lidar com o problema da constipação em bebês.

Quando um bebê começa a borbulhar e rolar no berço, os pais podem temer que ele esteja com dor de barriga. Freqüentemente, os bebês sofrem de cólicas gasosas, mas às vezes também podem ter dificuldade para defecar e prisão de ventre. Finalmente, o bebê pode borbulhar com gases sem encontrar conforto ao defecar. Neste artigo discutiremos as causas desses problemas e daremos dicas sobre como ajudar seu filho.

Os bebês, por natureza, são muito sensíveis às mudanças ambientais: temperaturas instáveis, sons, pais excitados podem afetar sua saúde. Além disso, as alterações hormonais e o consumo de leite materno causam principalmente distúrbios metabólicos e digestivos. Tudo isso pode levar a sensações desagradáveis ​​na barriga do bebê, manifestadas por ansiedade, choro, gritos. Isso será discutido em detalhes nos parágrafos seguintes.

Existem muitas razões pelas quais os bebês podem sofrer de cólicas gasosas, prisão de ventre e dificuldade para defecar. Geralmente, é devido à desnutrição do bebê ou a outros problemas físicos. Mas existem outros fatores que podem contribuir para problemas digestivos em crianças. Ao explorar este tópico, tentaremos examinar todos esses aspectos.

Por que um bebê pode peidar, mas não fazer cocô?

Os bebês podem ter problemas de fezes por vários motivos. Alguns bebês peidam mais do que fazem cocô, e isso pode significar que eles têm problemas de digestão. Em alguns casos, esta situação pode ser causada pelo consumo de leite ou fórmula que se revela demasiado difícil para a criança.

Em outros casos, a falta de fezes pode ocorrer porque a criança não está ingerindo líquidos suficientes, o que também pode dificultar a digestão. O bebê pode ter um problema de estase alimentar geral que impede a passagem de líquidos pelo sistema digestivo, causando problemas de defecação.

Finalmente, como regra geral, se o bebê peida normalmente e comer normalmente, a saída fecal ficará bem. É necessário proceder do fato de que cada criança tem seu próprio ritmo fisiológico e pode variar. Portanto, não se preocupe se o bebê não faz cocô tanto quanto o pai espera. O principal é monitorar o temperamento da criança, sua condição geral e ouvir cuidadosamente seus sentimentos.

Causas de falta de fezes em um bebê

Causas de falta de fezes em um bebê

Durante as primeiras semanas da vida de uma criança, ele pode beber pouco leite e não demonstrar interesse em comida. Isso pode fazer com que seu trato GI funcione lentamente e as fezes não serão formadas.

Outra razão pela qual uma criança pode não fazer cocô é a constipação, que pode ser causada por desidratação, lanche no leite, muitos alimentos brancos na dieta da mãe e outros fatores que podem retardar o processo de digestão.

Algumas mães podem aplic á-las a técnicas de massagem ou usar as técnicas erradas, que também podem fazer com que seus bebês não possam reabastecer.

  • Falta de fibra grossa na dieta. Se uma mãe não consome fibras suficientes, isso pode levar a deficiências no sistema digestivo da criança, bem como a passagem lenta dos alimentos.
  • Genes nocivos. Os genes nocivos podem levar a uma desaceleração da velocidade na qual os nutrientes são processados dentro do corpo de uma criança, resultando em longos períodos sem cocô.

Compreender esses fatores pode ajudar as mães a obter o processo de alimentação no caminho certo e normalizar todo o sistema GI. Se o problema continuar, é recomendável consultar um médico.

Como você se sente sobre vacinas e imunizações?
Positivo
63, 64%
Negativo
36, 36%

Sintomas de constipação

Sintomas de constipação

A constipação pode ser uma doença temporária, mas se os sintomas de alerta não forem ignorados, isso pode levar a consequências dolorosas. Aqui estão alguns sinais a serem observados:

  1. Defecação pouco frequente: se seu filho não for ao banheiro todos os dias e não sentir dor ou desconforto enquanto faz isso, pode ser um sinal de constipação.
  2. Bancas duras: se as fezes do seu filho são duras e secas e saem de forma irregular, isso pode ser outro sinal de constipação.
  3. Defecação dolorosa: uma criança pode sentir dor ou desconforto ao defecar, o que pode ser causado por fezes que são grandes demais para passar ou uma impactação intestinal.

Se você notar algum desses sintomas, é importante buscar atenção médica para estabilizar seu filho. Sintomas mais graves, como sangue nas fezes, forçando o profissional médico a determinar a extensão e as possíveis causas dos sintomas.

Hábitos alimentares da mãe

Os hábitos alimentares da mãe são uma das possíveis causas de uma criança peidando, mas não cocô. Mães que consomem alimentos ricos em gordura e proteína podem passar esses elementos para seus bebês através do leite materno. Por esse motivo, o bebê pode ter um problema com a digestão e a constipação.

Para evitar esses problemas, é recomendável assistir sua dieta durante a amamentação. Você pode e deve consumir uma variedade de produtos, mas deve evitar o excesso deles.

  • Não é recomendável comer alimentos que causam dor e dor abdominal (feijões, ervilhas, beterraba etc.).
  • É melhor escolher peixes e carne para escolher variedades magras.
  • Antes de cada amamentação, você deve comer uma pequena quantidade de carboidratos facilmente digeríveis (frutas, legumes, mingau), o que ajudará a evitar a constipação.

É importante lembrar que uma dieta adequadamente equilibrada da mãe não apenas permitirá que o bebê amamentado se sinta melhor, mas também afeta sua qualidade de vida por muitos anos.

Fórmula incorreta para amamentar uma criança

A alimentação infantil é um estágio muito importante na vida de um bebê e seus pais. Mas o que fazer se seu bebê peida, mas não cocô? Uma das razões para esse problema pode ser a fórmula errada para amamentar sua criança.

Nos primeiros meses de vida, o leite materno é a melhor maneira de nutrição para uma criança. No entanto, em alguns casos, os pais podem mudar de idéia ou podem não ser capazes de amamentar seu bebê e começar a dar fórmula. Nesse caso, é muito importante escolher a fórmula certa para a fórmula, levando em consideração a idade do bebê, as características individuais e as indicações do pediatra.

Se você perceber que seu bebê está peidando, mas não faz cocô, pode ser porque a fórmula que você está usando não é adequada para o seu bebê. Se for esse o caso, entre em contato com seu pediatra para ajud á-lo a determinar a opção de fórmula correta e fornecer recomendações adicionais de alimentação.

  • Escolha fórmulas que contêm ingredientes naturais, se possível, sem OGM e outros aditivos nocivos;
  • Considere a idade do seu bebê e siga as instruções no pacote;
  • Monitore a reação do seu bebê a novas fórmulas e entre em contato com seu pediatra com o primeiro sinal de problemas.

De qualquer forma, você não deve alterar a fórmula sem consultar seu médico para evitar possíveis complicações e consequências negativas para a saúde do bebê.

Água insuficiente na dieta do bebê

Uma das causas da digestão inadequada em bebês pode ser água insuficiente na dieta. Um bebê que não tem líquidos suficientes pode ter dificuldade em deixar fazer as fezes e começar a peidores.

Para evitar esse problema, é importante garantir que seu bebê tenha água suficiente. Os bebês devem receber água após cada refeição. Caso o bebê se recusar a beber água, você pode oferecer leite materno extra ou dar ao bebê leite materno extra.

Para garantir que seu bebê esteja recebendo água suficiente, você pode aplicar várias técnicas. Observe a micção, o tônus muscular, a pele e as erupções cutâneas do seu bebê. Se suas observações refutarem sua suposição de que seu bebê precisa de mais fluidos, consulte seu pediatra.

Exercite para melhorar a digestão em bebês

Exercícios físicos para melhorar a digestão em bebês

Vários exercícios físicos simples podem ser usados para ajudar a digerir melhor os alimentos e se livrar dos problemas de gás e constipação.

Um dos exercícios mais eficazes é a massagem da barriga. Movimentos suaves no sentido horário ajudarão a se livrar do gás e a promover uma melhor digestão. Algumas mães também recomendam o uso de óleo de massagem para melhorar a circulação e aliviar dores de barriga.

Outro exercício útil é a “bicicleta”. Para fazer isso, você precisa colocar seu bebê nas costas dele e dobrar suavemente as pernas nos joelhos, depois fazer movimentos que se assemelham a pedalar uma bicicleta. Este exercício ajudará a relaxar a barriga e se livrar do gás.

Além disso, não esqueça que a posição adequada de alimentação e alimentação pode fazer uma grande diferença na digestão do seu bebê. Tente dar o peito em posições diferentes e verifique se o seu bebê não engole o ar enquanto se alimenta.

  • Massagem na barriga no sentido horário
  • Exercício de bicicleta

Lembr e-se de que cada bebê é diferente e pode responder aos exercícios de maneira diferente. Se você perceber que qualquer exercício causa desconforto na criança, é melhor parar de us á-lo e pedir conselhos ao seu pediatra.

Mudando a dieta do seu bebê

Quando uma criança não come bem, ele pode não ter enzimas digestivas suficientes. Mudar a dieta pode ajudar a resolver o problema digestivo.

Certos alimentos, como alimentos fritos, gordurosos ou picantes, podem contribuir para a irritação do sistema digestivo da criança. Neste momento, é aconselhável eliminar esses alimentos da dieta do bebê.

Mas não esqueça que os bebês precisam de proteínas, gorduras e carboidratos para se desenvolver e crescer, por isso é necessário equilibrar adequadamente a dieta. Ao usar misturas artificiais, é necessário seguir as instruções sobre o pacote e a dosagem.

Muitas mães substituem a fórmula do leite por purês vegetais ou sucos de frutas, mas isso pode levar à falta de nutrientes essenciais. É melhor fornecer à criança uma dieta completa que consiste em fórmula de leite e vários alimentos piegas, além de frutas e legumes adequados.

Em caso de problemas digestivos, você deve definitivamente consultar um pediatra e um nutricionista. Juntamente com eles, você pode encontrar a melhor dieta para que seu bebê seja saudável e feliz.

Check-ups periódicos com o médico do seu bebê

Um dos aspectos mais importantes do cuidado para os bebês é o monitoramento periódico de sua saúde. É necessário ver um pediatra regularmente para que ele possa avaliar o desenvolvimento físico e psicológico do bebê.

O médico monitorará como os sistemas corporais da criança, como o sistema digestivo, estão funcionando. Ele avaliará a quantidade de urina e fezes para garantir que tudo esteja bem com o trato digestivo.

Ao visitar o médico, não hesite em fazer perguntas sobre a saúde do seu bebê. O pediatra ajudará a solucionar quaisquer dificuldades e responderá às suas perguntas.

Uma boa regra é visitar o médico a cada poucas semanas durante o primeiro ano da vida do seu bebê. Isso permitirá que o médico identifique qualquer problema mais cedo e resolv ê-los em tempo hábil.

Mudança abrupta na dieta como causa de problemas digestivos

No nascimento, o sistema digestivo de uma criança ainda não está totalmente formado e estável. Mesmo uma ligeira mudança na dieta pode causar problemas digestivos, como constipação, gás e cólica. Uma das causas mais comuns é uma mudança abrupta na dieta de um amamentador.

Se a mãe começar a comer novos alimentos que ela não comeu antes, isso pode afetar a composição do leite. Por exemplo, comer laticínios ou vegetais como repolho pode causar gás no bebê. Também não é recomendável comer grandes quantidades de alimentos picantes, gordurosos ou doces, pois eles podem causar constipação e cólica.

Se houver necessidade de fazer alterações na dieta, é melhor faz ê-lo gradualmente, ao longo de vários dias, para dar ao sistema digestivo da criança tempo para se adaptar. Além disso, vale a pena prestar atenção a quais produtos causam problemas no bebê e os excluem da dieta da mãe. Isso ajudará a evitar consequências desagradáveis e melhorar a digestão do bebê.

A importância de convencer o bebê a beber água suficiente

Uma criança que bebe pouca água pode enfrentar o problema da constipação, que pode levar a peidores, mas não para cocô.

Para um bebê com menos de seis meses de idade, os fluidos desempenham um papel fundamental na manutenção da saúde: a água ajuda a melhorar a função intestinal, acelerar a digestão e proteger a mucosa gástrica da irritação. Se uma criança não tiver líquidos suficientes, as fezes podem se tornar duras e parar no intestino, causando problemas como constipação.

Além disso, uma criança pequena não é capaz de expressar suas necessidades e sentimentos de sede. Os pais devem incentivar o bebê a beber água, especialmente ao amamentar, quando recebe não apenas leite, mas também água do corpo da mãe.

Para garantir que o bebê não sofra de constipação e seja saudável, os pais devem garantir que o bebê beba água suficiente. Não se esqueça de dar a ele água durante as alimentação, especialmente em clima quente, quando a perda de líquido no corpo aumenta.

Escolhendo os alimentos certos para a dieta do bebê

Escolhendo os alimentos certos para a dieta de uma criança

Um dos principais problemas enfrentados pelos pais de bebês é a nutrição do bebê. É especialmente importante escolher os alimentos certos se o bebê tiver problemas digestivos ou for propenso a constipação

  • Produtos lácteos: é melhor usar leite materno para um bebê. Se, por algum motivo, o bebê receber fórmula ou leite de vaca, você deve escolher fórmulas hipoalergênicas ou leite de soja. Você também pode adicionar kefir ou iogurte à dieta, mas somente após 6 meses de idade e somente após a consulta com seu pediatra
  • Frutas e legumes: A criança pode receber sucos de frutas como maçã, pera, ameixa, mas apenas diluídos em água e apenas uma vez ao dia. Além disso, purês naturais de frutas e vegetais devem ser introduzidos na dieta, mas somente a partir dos 6 meses de idade e apenas de forma gradual.
  • Produtos de grãos: Os produtos de grãos devem ser introduzidos na dieta após os 6 meses de idade e apenas gradualmente. É melhor usar mingau com água em vez de leite. Você também pode introduzir pães ou chakhokhbili de fácil digestão.

Importante! Na hora de escolher os produtos é preciso ouvir a reação da criança. Se houver sinais de alergia ou dor de estômago, é necessário interromper imediatamente o uso deste produto e consultar um pediatra

Quando consultar um médico

Quando consultar um médico

Monitorar um bebê recém-nascido é uma tarefa responsável e desafiadora. Os pais se preocupam com o tipo de fezes que o bebê tem, quanto ele bebe até desenvolver um padrão de alimentação, etc. No entanto, às vezes o bebê pode ter problemas sérios que os pais não conseguirão resolver sozinhos.

  • Se o bebê não evacua há mais de 2 dias
  • Se as fezes tiverem cor e consistência incomuns, contiverem sangue ou muco
  • Se sangrar do reto
  • Se a criança tiver ataques de vômito abundantes e prolongados
  • Se a temperatura corporal estiver acima de 38 graus Celsius
  • Se o bebê apresentar erupção na pele com coceira, que não desaparece por mais de 2 dias

Em todos esses casos, é necessário entrar em contato imediatamente com um médico (pediatra, gastroenterologista, infectologista). Ele fará um exame, diagnosticará a causa, prescreverá o tratamento e dará recomendações valiosas para o cuidado do bebê no futuro.

Orientações de exames para identificar as causas dos problemas digestivos

Se um bebê apresentar problemas digestivos, como prisão de ventre, cólicas, indigestão ou outros sintomas que não sejam típicos de um bebê saudável, exames adicionais deverão ser realizados para determinar a causa do problema.

Um dos primeiros passos será entrar em contato com um pediatra, que fará um exame médico, saberá informações gerais sobre a alimentação e as condições de vida da criança. De acordo com o resultado do exame, o médico pode recomendar as seguintes orientações de análise:

  • Exame de sangue geral – permite avaliar o nível de hemoglobina, leucócitos e outros indicadores que podem indicar a presença de processos inflamatórios no organismo.
  • Análise de fezes para sangue oculto – ajudará a estabelecer a presença de sangramento intestinal, que pode ser a causa de problemas digestivos.
  • O exame fecal para disbiose – revela anormalidades na microflora intestinal, que podem ser causadas por dieta ou antibióticos inadequados.
  • Ultrassom abdominal – permite avaliar a condição dos órgãos internos, incluindo o intestino e o trato biliar.
  • Os exames de sangue para os níveis de hormônio da tireóide – permitem identificar possíveis distúrbios da tireóide, o que pode levar a problemas digestivos.

Dependendo dos resultados dos testes e da condição geral da criança, o médico pode prescrever estudos adicionais, como gastroenteroscopia ou radiografia para obter uma imagem mais detalhada do estado do sistema digestivo e identificar possíveis causas de problemas digestivos no bebê.

A necessidade de tomar medidas para evitar a constipação no bebê

Precisa tomar medidas para evitar a constipação em bebês

Os primeiros meses da vida de uma criança são muito estressantes – está se adaptando a um novo ambiente, alimentando, trocando fraldas e muito mais. Todas essas mudanças podem afetar o sistema digestivo do bebê.

A constipação em bebês é um problema comum que causa desconforto, dor e pode até levar à doença. Prevenir a constipação pode ajud á-lo a evitar esse problema.

Uma das medidas preventivas mais importantes é a alimentação adequada. Revise sua dieta e verifique se você está recebendo líquidos e vegetais suficientes. Isso também ajudará seu bebê, pois o leite da mãe é a principal fonte de nutrição para um bebê até 6 meses de idade. Você também deve organizar para comer menos alimentos sólidos e gastar mais tempo amamentando.

Freqüentemente, bebês constipados precisam de rotinas bem organizadas. Vale a pena limitar o tempo da barriga e garantir que haja tempo suficiente para dormir e descansar. Massagens e exercícios de barriga para melhorar a função intestinal também são muito úteis.

Também é necessário seguir consistentemente regras importantes de higiene diariamente, a fim de evitar possíveis doenças e fortalecer o efeito de outras medidas para evitar a constipação. Vale a pena cuidar da pele, trocar fraldas com uma mão ou com a ajuda de um assistente. O uso de vários hidratantes e desinfetantes também pode ajudar a manter um ambiente favorável para ajudar a evitar a constipação e outros problemas do sistema digestivo da criança.

Resolvendo problemas digestivos em casa

Mude a dieta

Para evitar problemas digestivos em casa, você precisa consumir os alimentos certos. Inclua mais frutas, vegetais, alimentos de proteína e peixe em sua dieta. Reduza a ingestão de alimentos gordurosos e fritos, bem como alimentos com muito açúcar.

Beba água regularmente

Beba água regularmente

Para o funcionamento normal do sistema digestivo, você precisa beber água destilada regularmente. Ajuda a limpar o corpo de toxinas, mantém um equilíbrio adequado de fluidos e melhora o metabolismo.

Adicione probióticos e prebióticos à sua dieta

Probióticos e prebióticos ajudam a melhorar a função intestinal e aumentar a imunidade. Adicione kefir, iogurte, produtos lácteos fermentados, alimentos fermentados, vegetais e frutas à sua dieta.

Aumentar a atividade física

Aumentar a atividade física

A atividade física ajuda a estimular o sistema digestivo e o metabolismo. Escolha exercícios moderados, como ioga, aulas de natação ou corrida.

Prepare comida corretamente

Cozinhar comida muito quente ou muito leve pode ter um impacto negativo no sistema digestivo. Tente cozinhar ou grelhar alimentos para preservar seus benefícios à saúde e evitar problemas digestivos.

Observe sua dieta

Observe a dieta < pan> A incapacidade de uma criança de excretar grandes quantidades de fezes pode causar problemas digestivos, o que pode levar a cólica, constipação e desconforto. Portanto, é importante monitorar regularmente a quantidade e a qualidade dos alimentos que seu bebê consome, bem como a frequência de fezes e gás.

Comer refeições regulares é importante para um sistema digestivo saudável. Não pule as refeições e coma ao mesmo tempo todos os dias. Isso manterá seu intestino funcionando e melhorará seu metabolismo.

Medidas preventivas para evitar problemas digestivos em um bebê

A nutrição adequada é a base para uma criança saudável. As medidas a seguir são recomendadas para evitar problemas digestivos:

  • Dieta da mãe. Mães que estão amamentando devem assistir sua dieta. Evite alimentos pesados, pratos picantes e gordurosos.
  • Alimentação frequente. Uma criança deve ser alimentada pelo menos 8 a 10 vezes por dia, à medida que cresce e se desenvolve.
  • Higiene constante. Limpe regularmente as nádegas e genitais da criança com lenços úmidos.
  • Observe a temperatura dos alimentos. A alimentação deve ser feita à temperatura ambiente. O leite materno deve ser descongelado antes de entreg á-lo ao seu bebê e depois aquecido à temperatura corporal.

Mesmo quando todas as recomendações são seguidas, os bebês podem ter problemas digestivos. Se você perceber que seu bebê tem esses problemas, consulte seu pediatra. Ele o ajudará a escolher o tratamento mais eficaz e dar conselhos sobre cuidados.

Conclusão

A incapacidade de uma criança de excretar grandes quantidades de fezes pode causar problemas digestivos, o que pode levar a cólica, constipação e desconforto. Portanto, é importante monitorar regularmente a quantidade e a qualidade dos alimentos que seu bebê consome, bem como a frequência de fezes e gás.

Observar sua criança ajudará a identificar e eliminar possíveis problemas intestinais em tempo hábil. Se for necessário tratar a constipação ou cólica, consulte um pediatra e seguir suas recomendações sobre a dieta e o método de suprimir o gás. Esteja atento ao seu bebê, e ele será saudável e feliz.